Para atender à demanda da Secretara Municipal de Saúde de Itaituba (Semsa), o Instituto Federal do Pará (IFPA) em parceria com a Prefeitura está produzindo álcool 70%. O produto está em falta no mercado devido à crescente procura, em decorrência da pandemia de coronavírus que se alastra pelo Brasil, neste mês de março.

 A ausência do produto a pronta entrega prejudica o atendimento à população pela rede pública de saúde municipal. Frente a esta dificuldade, a solução encontrada pela Prefeitura, por meio da Vigilância Sanitária, foi solicitar ao IFPA, campus Itaituba, a produção de álcool em gel. O Secretário de Saúde do Município de Itaituba, Iamax Prado Custódio, destaca que a Semsa está fornecendo os insumos ao Laboratório do Campus que prepará o álcool 70%.
No entanto, no município, não há os insumos necessários para a produção de álcool em gel. O professor de Química, coordenador de pesquisa, pós-graduação e inovação do Campus Itaituba, Leonardo Silveira Villar, explica que diante da urgência em atender o hospital e as unidades básicas de saúdes municipais, a alternativa foi produzir álcool líquido e o álcool 70%, devido ao teor de água, tem maior eficácia no combate à vírus e bactérias, por isso mais recomendado do que os demais para a higienização das mãos e superfícies.

O Campus Itaituba está preparado para atender ao pedido. Conta com um laboratório de Química com estrutura adequada, com vidrarias de manipulação de reagentes e de soluções químicas, estufas, equipamentos de proteção individual e coletivo, além de um corpo técnico profissional qualificado.

Um dos componentes para a produção do álcool 70% é a água destilada. Para tornar o produto mais acessível, a água destilada foi produzia pelo laboratório em um destilador desenvolvido de forma inovadora, usando produtos recicláveis. O equipamento, montado com uma panela de pressão e canos de PVC, ferve a água a uma temperatura suficiente para destilar a quantidade necessária à diluição da matéria-prima. A produção da substância se dá em duas etapas, a primeira é a destilação da água a ser usada e a segunda a diluição do álcool. “A diluição é uma técnica utilizada para tornar uma solução de concentração inicial alta em outra solução de concentração final mais baixa. Assim, para a diluição do álcool (etanol) líquido, utiliza-se a água destilada. Esse processo demanda algumas horas até que o líquido esteja dentro dos padrões estabelecidos”, esclarece o Assistente de Laboratório de Química do IFPA, campus Itaituba, Antônio Costa Neto.
Villar explica que o trabalho não envolve alunos devido à medida de isolamento proposta pelo Ministério da Saúde e adotada pelo IFPA para prevenir a propagação ou contaminação por Covid-19 na comunidade acadêmica. A Secretaria forneceu, além da matéria-prima, os vasilhames necessários para o fracionamento do álcool. “Esta preparação será utilizada para a higienização das mãos e dos mobiliários das repartições da área de saúde. Já entregamos 20 litros na terça-feira. Preparamos outros 26 litros nesta quarta e continuaremos a produção conforme a necessidade da Secretaria de Saúde e disponibilidade de matéria-prima”, ressalta Villar.

O álcool líquido é um produto perigoso e requer maior atenção para ser usado. “O álcool, que no caso é o etanol líquido ou em forma de gel é uma substância inflamável, possui alto risco de combustão intensa, ou seja, pega fogo com bastante facilidade. Se manipulado próximo a locais aonde tenha chamas ou algo que possa dá ignição pega fogo, pode causar sérios acidentes desde pequenas queimaduras até levar a morte, incendiar casas e se ingerido por crianças pode causar diversos danos à saúde. Assim, ninguém deve manipular o álcool sem conhecer sobre os riscos que ele pode causar. É importante que se busque uma orientação adequada dos profissionais e as pessoas não devem manipular o álcool em casa para evitar diversos acidentes”, orienta Neto.
Neto comenta que esta ação junto à comunidade é fundamental para o IFPA e traz benefícios para todos, demonstra à sociedade a importância do trabalho técnico e científico desenvolvido pelo Instituto. “O IFPA, uma instituição de renome, visa com essa ação contribuir positivamente para o momento que estamos vivenciando, que é a pandemia do COVID-19, na cidade de Itaituba, PA. Assim, essa ação é de extrema importância para o momento no combate a pandemia, contribuir com as ações da prefeitura de Itaituba e uma maneira da instituição IFPA Campus Itaituba demonstrar para a sociedade a importância do seu trabalho técnico e científico”.

Os resultados do trabalho desenvolvido pelo IFPA junto à Vigilância de Sanitária, Custódio avalia positivamente.“A parceria está dando muito certo e espero que possamos contar sempre com o instituto. O IFPA está sempre unido a nossa comunidade por meio da oferta de cursos de qualificação profissional e técnico a jovens e adultos”.






Post a Comment

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!

Postagem Anterior Próxima Postagem