O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou nesta quinta-feira, 5, o último edital para a contratação de temporários que vão trabalhar na realização do Censo Demográfico 2020. Por meio de Processo Seletivo Simplificado (PSS), serão contratados Agentes Censitários Supervisores (ACS), Agentes Censitários Municipais (ACM) e Recenseadores.

Só no Pará, 6.945 vagas estão disponíveis, sendo a maior quantidade para o cargo de Recenseador – 6.024 vagas. A remuneração para o cargo de ACM é de R$ 2.100,00, enquanto a de ACS é de R$ 1.700,00. Já a remuneração mensal do Recenseador será por produção, sendo estimada em torno de R$ 1.278,94.

O chefe da Unidade Estadual do IBGE, Rony Helder Cordeiro, explica que apesar de existir uma estimativa de rendimentos para o cargo de recenseador, o valor pode variar muito. “Depende da taxa de remuneração dos setores censitários e do número de unidades visitadas, questionários respondidos e pessoas recenseadas. Depende ainda do tempo que cada um terá para se dedicar à função. Um recenseador que tenha só os finais de semana livres talvez não alcance os mesmos rendimentos de outro que tenha a semana inteira para percorrer seu setor”.

Os cargos de ACM e ACS vão concorrer num mesmo processo, sendo que aos primeiros colocados caberá a vaga de ACM e, do segundo em diante, vagas de ACS. O nível de escolaridade para ambos é o ensino médio completo. Os primeiros vão gerenciar os Postos de Coleta, fazendo o controle e gestão dos recursos humanos e materiais. Também vão acompanhar e orientar a Coleta de Dados, coordenando o trabalho dos ACS’ e recenseadores. Já os ACS farão a supervisão da operação censitária junto aos recenseadores, exercendo também tarefas administrativas, como renovação de contratos e avaliação dos recenseadores.

Já para o cargo de recenseador é exigido o ensino fundamental completo. O chefe do IBGE no Pará ressalta que “o cargo de recenseador é fundamental para o Censo. É essa pessoa quem estará em contato direto com o público, representando o IBGE nos bairros e nas comunidades em cada município. São os recenseadores que vão, de domicílio em domicílio, entrevistar os moradores e armazenar os dados no Dispositivo Móvel de Coleta, que é um equipamento desenvolvido só para a coleta dos dados durante o Censo 2020”, explicou Cordeiro.

Candidatos a ACM e ACS pagarão taxa de R$ 35,80 para se inscrever, enquanto futuros recenseadores pagarão R$ 23,61. Inscritos para ACM e ACS farão provas no dia 17 de maio, com resultado previsto para 12 de junho. Para o cargo de recenseador, a prova deve ser no dia 24 de maio, com resultado previsto para o dia 03 de julho.

As inscrições para o PSS do IBGE estão abertas até o dia 24 de março e devem ser feitas pelo site www.cebraspe.org.br.

CENSO DEMOGRÁFICO 2020: A cada 10 anos o IBGE realiza o Censo Demográfico da população brasileira. O objetivo é conhecer em detalhe como é e como vive o nosso povo, gerando dados estatísticos oficiais que são fundamentais para o planejamento de ações do governo e da sociedade em geral.

O Censo Demográfico 2020 será a maior operação de recenseamento já organizada no país. Mais de 211 milhões de habitantes e aproximadamente 71 milhões de endereços serão visitados em 5.570 municípios brasileiros, com 6.100 Postos de Coleta instalados em todo o país. Só no Pará, serão 188 postos de coleta e mais de 2 milhões de domicílios visitados. Para tanto, o IBGE deve contratar, em todo o país, 230 mil pessoas em caráter temporário, para os trabalhos de coleta de dados, supervisão, apoio técnico-administrativo e apuração dos resultados.

INDÍGENAS E QUILOMBOLAS: A população indígena brasileira vem sendo contada pelo Censo Demográfico desde 1991. Nos Censos de 2000 e 2010, as informações sobre esses povos foram aprofundadas gerando um banco de dados de relevância nacional e internacional sobre as características étnico-raciais dos indígenas no Brasil.

Em 2020, para ampliar a percepção e o retrato da diversidade nacional, o IBGE implementa uma inovação: o recenseamento das populações remanescentes de quilombos como grupo étnico. Além de cumprir o Decreto 8.750/2016, que trata dos direitos da população quilombola, essa medida visa ao atendimento de suas demandas por visibilidade nas Estatísticas Oficiais.

No Estado do Pará são estimados 19.972 domicílios em territórios quilombolas e 17.129 domicílios indígenas.

DADOS: Após a coleta das informações em cada domicílio, que será realizada nos meses de agosto, setembro e outubro, os dados preliminares deverão ficar disponíveis já a partir da segunda quinzena de dezembro de 2020. A partir do segundo semestre de 2021 até o início de 2023 todos os resultados serão apresentados no portal virtual do IBGE (ibge.gov.br) e em meio impresso.



Contatos: 3202-5601 – Setor de Disseminação de Informações / IBGE no Pará
Angela Gonzalez – 98095-7776 / angela.gonzalez@ibge.gov.br
Atenciosamente, Angela Gonzalez
Analista Censitária - Jornalista
Setor de Disseminação de Informações do IBGE no Pará
Tel: (91)3202-5601 / Voip: 7916700

Post a Comment

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!

Postagem Anterior Próxima Postagem