A polícia prendeu em flagrante o principal suspeito de ter matado a golpes de pé-de-cabra o jornalista paraense Eranildo Ribeiro da Cruz, de 54 anos. O corpo do profissional da comunicação foi encontrado no dia 6 de setembro no distrito de Monte Dourado, em Almeirim. A prisão de Janilson Silva Duarte, de 19 anos, aconteceu na segunda-feira (13) após uma semana de investigações da Polícia Civil. O suspeito estava no município de Laranjal do Jari, no Amapá, com a moto que foi roubada da vítima.

'Caminho do suspeito': De acordo com o delegado Rodrigo Barbosa, que está à frente das investigações, imagens de câmeras de segurança foram usadas para fazer a identificação do suspeito e traçar o caminho que ele fez na noite do crime. Em um dos registros o delegado e o investigador Emerson de Melo viram o jornalista com uma pessoa na garupa de sua motocicleta. Foi traçada uma linha cronológica que levou à identificação de Janilson.

A polícia também conseguiu imagens do porto de Laranjal do Jari que mostram o suspeito atravessando para Monte Dourado. Ele estava com um pé-de-cabra nas mãos. Segundo o delegado, foram repassadas informações sobre o suspeito à Polícia Civil do Amapá, que sinalizou que Janilson estava em Laranjal do Jari.

"Um policial teria visto uma pessoa com as mesmas características e nos passou a informação. Atravessamos para Laranjal e constatamos que se tratava da moto da vítima e fizemos a campana. Depois de quatro horas o suspeito que aparecia nas imagens foi buscar o veículo", explicou.
Controvérsias nas motivações Janilson foi transferido para a delegacia de Monte Dourado, mas ainda não foi ouvido oficialmente. Ele confessou à polícia ser o autor do crime, mas já apresentou várias versões sobre como cometeu o assassinato.

O delegado Rodrigo Barbosa informou, inclusive, que há contradições se houve ou não a participação de outras pessoas, diretamente, na morte do jornalista. Testemunhas continuam sendo ouvidas pela polícia. "Ele está sendo autuado em flagrante, em tese, pelo crime de homicídio, mas eu ainda preciso ouvi-lo com detalhes. De antemão, ele já adiantou versões, entra em contradição muitas vezes", disse o delegado. Apesar de como o corpo de Eranildo foi encontrado, com lesões na cabeça e embrulhado nu em lençol, a Polícia Civil descartou, por enquanto, que o jornalista tenha sido torturado antes de ser morto.

A arma do crime e a moto:  A motocicleta de Eranildo, levada logo após o crime, foi recuperada descaracterizada, inclusive com outra cor. A polícia também conseguiu localizar o pé-de-cabra que pode ter sido usado por Janilson. A ferramenta será periciada. "Ele [Janilson] mesmo já disse que golpeou a vítima com o pé-de-cabra. As investigações vão continuar, teremos outras diligências. Todas as informações que ele passa serão apuradas".

Objetos roubados: Após o corpo de Eranildo ser encontrado, a Polícia Civil constatou que alguns objetos foram roubados da casa, como câmera fotográfica, celulares e a motocicleta do jornalista. O veículo foi recuperado, já os demais ainda não foram encontrados. No entanto, a Polícia ouviu uma testemunha que disse que comprou celulares do suspeito. Conforme o delegado Rodrigo, as informações sobre a possível receptação foram repassadas à Polícia Civil do Amapá, já que a negociação do aparelho aconteceu em Laranjal do Jari.

O crime: Eranildo Ribeiro da Cruz, de 54 anos, foi encontrado em uma casa na noite do dia 6 de setembro. O jornalista foi encontrado nu em cima de uma cama e coberto com lençol. Os braços estavam para trás e ele tinha sobre a cabeça com ferimento um travesseiro. O jornalista de 54 anos, conhecido como "Chocolate", fazia coberturas pelo jornal impresso "Tribuna Regional", atuando tanto no Pará quanto em municípios do Amapá, como Laranjal do Jari. Eranildo cobria assuntos políticos e de movimentos sociais.

Posicionamento do Sinjor e OAB: A Diretoria Executiva do Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor/PA), Diretoria Regional do Tapajós (DRTap) do Sinjor-Pa e a Comissão de Liberdade de Imprensa da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará (OAB-PA) se manifestaram sobre a prisão e reforçaram que continuam acompanhando o caso (veja a nota abaixo).

Nota na íntegra: "A Diretoria Executiva do Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor/PA), Diretoria Regional do Tapajós (DRTap) do Sinjor-PA e a Comissão de Liberdade de Imprensa da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará (OAB-PA) comunicam que continuam acompanhando o caso de homicídio contra o jornalista Eranildo Ribeiro da Cruz (54) ocorrido há uma semana, no distrito de Monte Dourado, município de Almeirim (PA). As entidades foram informadas pela Polícia Civil que um homem foi preso suspeito de participar do assassinato do jornalista nesta segunda-feira (13), no município de Laranjal do Jari, Estado do Amapá.

As entidades reiteram o repúdio, pesar e pedem justiça pelo assassinato do jornalista Eranildo da Cruz. Segundo relato da 12ª Superintendência Regional do Baixo e Médio Amazonas, o assassino teria confessado o crime e ainda está sendo ouvido sobre a motivação e outras pessoas envolvidas no brutal crime. As entidades continuarão acompanhando o caso, prosseguem em contato, apoiando os familiares, além de cobrar uma investigação rigorosa do crime pelas autoridades para saber se há motivações políticas, ou relacionadas ao exercício do jornalismo. O Sinjor-PA e a Comissão de Liberdade de Imprensa da OAB-PA reforçam sua solidariedade aos amigos e familiares."

Fonte: G1- Santarém 


Post a Comment

Se identifique e deixe seu comentário com responsabilidade!!!

Postagem Anterior Próxima Postagem

CASA DOS PADRÕES E ENERGIA SOLAR:

Está pagando talão de energia com valores exorbitantes? Quer pagar só a taxa mínima?Entre em contato com nossa equipe que está esperando para lhe atender.- Loja: (93) 99241-1288 – - Setor Técnico: (93) 99193-1288. - E-mail: casadospadroes.stm@gmail.com - Site: https://www.casadospadroes.com.br/energia-solar - https://www.instagram.com/casadospadroes.energiasolar/